ESG: a sigla que te insere ao meio ambiente

Evandro Piedade do Amaral Presidente da Cocre

Meio ambiente diz respeito ao conjunto de fatores físicos, biológicos e químicos que cerca os seres vivos, exercendo influência e sendo influenciado por eles. Também compreende o complexo de condições que permitem abrigar e reger a vida em todas as suas formas, ou mesmo os ecossistemas que existem na Terra. Ou seja, tudo o que está à nossa volta pode e deve ser entendido como meio ambiente.

É exatamente essa consciência, de que somos parte da natureza, que tem crescido de maneira muito rápida nos últimos anos, a ponto de começar a moldar e determinar o futuro da sociedade. Logo, se somos parte da natureza, significa que temos responsabilidades sobre ela. Afinal, se o meio em que vivemos deixar de existir, como poderemos então sobreviver, se o que existe entre nós e a natureza é uma relação de interdependência?

Acredito na viabilidade e na urgência de uma reflexão aprofundada acerca do tema. Ao longo da história o que houve foi um grande processo de exploração, onde o meio ambiente assumiu o papel de escravo para o desenvolvimento econômico da sociedade. Isso trouxe muita perda para ambos os lados, uma vez que toda degradação exercida pelo homem à natureza volta para ele também em forma de degradação.

Porém, o que vemos hoje é uma expansão da chamada “economia verde” entre os meios de produção. Em tempos de pandemia da Covid-19, siglas e práticas como as de ESG (Environmental, social and corporate governance) ganham força e formam uma nova consciência entre os empresários e os geradores de riquezas. O desenvolvimento dessa consciência se torna extremamente importante, já que é mais fácil pensar em políticas que favoreçam o cuidado com o meio ambiente quando você se vê como participante dele.

Hoje, podemos afirmar que é possível conciliar produção econômica com preservação do meio ambiente. Basta querer. E hoje as empresas estão querendo, sim, mudar suas práticas com relação ao meio ambiente. Isso é ótimo, visto que cada vez mais os empresários estão percebendo os impactos dos negócios em todo ecossistema ambiental, e como isso tudo impacta na vida de todas as pessoas.

Quem sabe em um mundo em que lucro a todo custo teve seu valor até aqui entre os seres humanos, a adoção de critérios ESG pelo setor econômico e financeiro não venha como um alento de esperança para a humanidade. Como disse anteriormente, basta querer, colocar a mão na massa e fazer essa tendência crescer ainda mais. Afinal, ações de cuidado com o meio ambiente começam pequenas e individuais, e ao atingir o patamar de envolvimento de grandes empresas, é porque o momento realmente é de reflexão e mudança de hábitos.