ESG: governança que traz retorno de capital

Evandro Piedade do Amaral Presidente da Cocre

Dizem que o maior capital de uma empresa sempre foi e sempre vai ser o capital humano. Ou seja, as pessoas que compõem o quadro de funcionários e colaboradores são a energia motriz para que as organizações se mantenham ativas e alcancem os melhores resultados. Por isso, para além de todo investimento que uma corporação pode fazer, a aplicação direcionada para governança tem um elevado potencial de retorno de capital e pode alavancar os negócios e os lucros de uma empresa.

Hoje é fundamental que as empresas façam uma busca incessante para criar condições para que seus colaboradores possam trabalhar com excelência. Isso já deixou de ser diferencial há muito tempo. Isso está explícito até mesmo no conceito do ESG, que se refere aos três pilares importantes de uma empresa: social, sustentabilidade e governança corporativa.

Mais do que nunca, é fundamental que haja uma atenção especial com os colaboradores e processos internos de uma empresa. A pandemia trouxe com ela o home office, por exemplo, que se tornou um aliado para as pessoas e até para as empresas. Mas isso não pode impedir um bom relacionamento e até mesmo a proximidade entre a equipe e os gestores da companhia.

Para que alcance seus objetivos, é fundamental para uma companhia contar com uma equipe engajada, satisfeita e, principalmente, motivada. E isso demanda tempo, planejamento, estratégia e investimento.

Mas como em todo investimento, o que se espera depois dele é o retorno do capital. O que acontece a partir do momento que a empresa ganha solidez em suas práticas e conquista a confiança tanto do público interno – funcionários e colaboradores, como externo, que colhe os frutos de consumir os produtos de uma empresa na qual os funcionários gostam de trabalhar.

Com tudo isso, devemos olhar para as iniciativas que carregam consigo exemplos de uma boa governança corporativa, e entender que esse pilar gera retornos não apenas humanos, mas também financeiros e estruturais para uma empresa. E assim, entender que o pilar de governança corporativa é extremamente importante para completar a tríade proposta pelo ESG.